download theme

Bonus for new user http://bet365.artbetting.gr 100% bonus by bet365.

bet365.artbetting.co.uk

Últimas notícias:
A+ A A-

Ofensiva de Israel contra Hamas deixa mais de 100 mortos.

Os ataques israelenses na manhã desta sexta-feira (11) mataram oito palestinos, incluindo uma criança e uma mulher, segundo o serviço de emergências. Com isso, chega a 103 o número de mortos, enquanto o de feridos passa de 500, desde o início da operação israelense "Barreira de Proteção", há quatro dias.
O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, declarou nesta sexta que "nenhuma pressão internacional" impedirá seu país de "atacar os terroristas", ao se referir à ofensiva contra o Hamas em Gaza.
"Nenhuma pressão internacional nos impedirá de atacar os terroristas que nos atacam", declarou Netanyahu durante uma coletiva de imprensa no Ministério da Defesa em Tel Aviv.
Esse novo conflito é o mais violento desde a operação "Pilar de Defesa", que, em novembro de 2012, deixou 177 mortos palestinos e seis israelenses.
De acordo com o Exército israelense, o Hamas, considerado uma organização terrorista por Washington, e a Jihad islâmica, um grupo radical aliado, dispararam desde quinta-feira 40 foguetes e morteiros na direção de Israel. Ao todo, 426 projéteis foram lançados de Gaza, causando uma dúzia de israelenses feridos, mas sem vítimas fatais.

O movimento islamita palestino Hamas, que governa a Faixa de Gaza, assumiu a autoria do lançamento de quatro foguetes de longo alcance M75 contra o aeroporto internacional Ben Gurion, na região de Tel Aviv. O alvo não chegou a ser atingido.
'Castigo coletivo'
Em Jerusalém Oriental e nos Territórios palestinos, a situação era tensa durante a oração muçulmana semanal nesta sexta-feira de Ramadã.
Temendo atos de violência, a polícia israelense restringiu mais uma vez o acesso à Esplanada das Mesquitas, na Cidade Velha de Jerusalém: apenas 12 mil muçulmanos puderam orar, muito menos do que nas últimas semanas.
Na Galileia, norte de Israel, quatro mil árabes israelenses se manifestaram perto de Nazaré contra "os crimes de guerra israelenses" em Gaza.
A Força Aérea israelense lançou mais de 200 ataques na Faixa de Gaza nas últimas 24 horas contra alvos ligados ao Hamas, incluindo túneis, escritórios e casas.
Gaza.
Um fotógrafo da AFP viu vários barcos em chamas no porto de Gaza, incluindo o "Gaza Ark", um grande navio pesqueiro, com o qual uma organização internacional pró-palestina se preparava para tentar romper o bloqueio naval israelense.
No terreno, os preparativos para uma possível operação terrestre continuam. Cerca de 33 mil reservistas israelenses foram mobilizados para substituir os soldados no norte e no centro, a fim de realocá-los perto da Faixa de Gaza.
Um fotógrafo da AFP viu uma grande concentração de armas de artilharia israelenses perto do enclave palestino.
Diplomacia
Na frente diplomática, a comunidade internacional tem mobilizado, timidamente, esforços para deter a espiral de violência.
Durante uma conversa por telefone com o premiê Benjamin Netanyahu, o presidente americano, Barack Obama, "expressou seu temor de uma escalada".
"Os Estados Unidos continuam prontos para facilitar o fim das hostilidades, incluindo o retorno ao acordo de cessar-fogo de novembro de 2012", acrescentou a Casa Branca.
O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, fez um apelo na quinta-feira em favor de um cessar-fogo durante uma reunião de emergência do Conselho de Segurança.
Nesta sexta-feira, 34 ONGs divulgaram um comunicado conjunto, pedindo uma trégua e o respeito aos direitos Humanos na Faixa de Gaza.

Fonte: G1 Globo

Última modificação em
Avalie este item
(0 votos)
voltar ao topo