download theme

Bonus for new user http://bet365.artbetting.gr 100% bonus by bet365.

bet365.artbetting.co.uk

Últimas notícias:
A+ A A-

"Bem-vindo ao inferno" - os manifestantes prometem interromper a cúpula do G20

"Bem-vindo ao inferno". Essa é a saudação para o presidente dos EUA, Donald Trump, e outros líderes mundiais de manifestantes anti-capitalistas em Hamburgo, que visam interromper a cimeira do G20, que já tem tensões sobre o comércio e as mudanças climáticas.

Milhares de manifestantes de toda a Europa entraram na cidade portuária para se juntarem a grandes manifestações mais tarde. A polícia esperava cerca de 100 mil manifestantes em Hamburgo, dos quais cerca de 8 mil são considerados pelas forças de segurança para estarem prontos para cometer violência.

Isso representa um desafio para aqueles encarregados de garantir a cúpula dos líderes das 20 maiores economias do mundo, organizada pela chanceler Angela Merkel, que enfrenta difíceis conversas sobre questões divisórias, incluindo comércio e mudanças climáticas.

À margem da cimeira, Merkel vai se encontrar com líderes, incluindo o turco Tayyip Erdogan e Trump, que na Polônia convidou novamente os parceiros da OTAN a gastar mais em defesa e disse que enfrentaria a ameaça da Coréia do Norte.

Trump também terá sua primeira sessão com o presidente russo, Vladimir Putin, depois que o líder dos EUA chamou o comportamento da Rússia "desestabilizador", uma descrição que o Kremlin rejeitou.

Merkel, que se candidata a um quarto mandato em uma eleição de setembro, enfatizou na quinta-feira que estava comprometida com um sistema aberto de comércio internacional, apesar dos temores do protecionismo dos EUA sob Trump.

"Estamos unidos em nossa vontade de fortalecer as relações multilaterais na cimeira do G20 ... Precisamos de uma sociedade aberta, especialmente os fluxos comerciais abertos", disse ela em Berlim.

Várias pequenas manifestações em Hamburgo, nesta semana, passaram relativamente pacificamente. Na quarta-feira, mais de 7.000 jovens e jovens que bebiam cervejarias organizaram uma marcha acenando cartazes denunciando o capitalismo e os líderes do G20.

Mas um incêndio durante a noite em uma concessionária de automóveis Porsche de luxo no norte da cidade que danificou oito veículos poderia ser um antegozo do que está por vir. A polícia disse que estavam investigando se era um incêndio criminoso ligado à cimeira.

Os moradores locais estão descontentes com a decisão de Merkel de manter a cúpula no centro da segunda maior cidade da Alemanha para mostrar democracias saudáveis ​​que podem tolerar protestos, pois estão preocupados com os danos causados ​​pela propriedade por militantes de esquerda.

Depois que as autoridades de Hamburgo restringiram o acampamento dos manifestantes, o clube de futebol de St Pauli oferece 200 lugares para dormir em seu estádio como "um sinal claro para os direitos humanos, a liberdade de expressão e o direito de demonstrar".

Até 20.000 policiais estarão no dever de vigiar a manifestação principal, denominada "Bem-Vindo ao Inferno" pela aliança de grupos anticapitalistas que o organizaram.

Os manifestantes dizem que o G20 não conseguiu resolver muitos dos problemas que ameaçam a paz mundial, incluindo as mudanças climáticas, a piora da desigualdade e os conflitos violentos.

"LÍDER EGOTISTICO"

Esperava-se que dezenas de milhares se reunissem no mercado de peixe no bairro de St Pauli - conhecido por seu distrito de luzes vermelhas - às 1400 GMT, ao mesmo tempo que o avião da Força Aérea da Trump é devido a terras em Hamburgo. Em seguida, marcharão para o norte até o local da cúpula fortemente seguro.

"É ridículo que a polícia diga que alguns de nós são violentos quando começamos amanhã, os líderes das maiores nações exportadoras e importadoras de armas do mundo chegarão em nossa cidade", disse Stefan Hubert, designer gráfico de 32 anos que chegou ao Protesto na quarta-feira com três amigos.

Segurando uma leitura de letreiro, "Faça o amor de novo novamente!", Uma peça de teatro sobre o slogan da campanha "Make America Great Again", de Trump, ele acrescentou: "Esta cúpula é um desperdício de dinheiro que poderia ser melhor gasto na implantação de mais barcos para impedir que os migrantes fugissem Guerra e fome do afogamento no Mediterrâneo ".

A manifestante turco-alemã Fatima Cicek disse que ela e suas duas irmãs queriam argumentar que o G20 é antidemocrático, pois é um fórum onde um punhado de líderes toma decisões que podem afetar o mundo inteiro.

Mas o problema principal é com Trump. "Ele é o líder mais disruptivo e egoísta na cimeira", disse o assistente social velado de 38 anos.

Há ironia da desagrado dos manifestantes contra Trump. O presidente dos EUA e ativistas anticapitalistas têm algo em comum: desconfiança da globalização.

No entanto, Trump estava em Hamburgo para promover regras comerciais que beneficiam os Estados Unidos, incluindo as siderúrgicas que enfrentam uma forte concorrência da China, enquanto os manifestantes exigiam mais direitos para os pobres independentemente de onde vivessem.

"Trump está aqui para promover seus próprios interesses e os dos mais ricos da América", disse Cicek. "Estamos exigindo mais direitos para os milhões de pessoas na África que não tem telhado sobre suas cabeças".

 

Fonte: reuters.com (traduzido automaticamente pelo Google)

Avalie este item
(0 votos)
voltar ao topo